domingo, 19 de janeiro de 2014

A escrita do dia-a-dia é cada vez mais importante

Escrever continua a ser uma das formas mais importantes de comunicação e provavelmente a mais importante, numa altura em que as palavras correm velozmente pela internet. Se o papel se tornará obsoleto como suporte da escrita, se o ecrã será a nova folha de papel do futuro, se teremos muitas ou poucas saudades do cheiro dos livros são perguntas às quais o curso do tempo dará resposta - ou respostas. O que nos importa é que seja qual for o seu canal - o papel ou o ecrã - as palavras continuam a ser escritas e a circular. E agora muito mais depressa do que antes e chegando a muito mais leitores.
Com a banalização do email, com os blogs a permitirem milhões de novos escritores, cronistas e opinadores, com as redes sociais a amplificar mensagens, talvez possamos arriscar dizer que a escrita é cada vez mais importante. Perdeu o seu carácter solene e ganhou importância como expressão diária e quotidiana, imediata e espontânea. É mais fácil mandar um email do que telefonar. É mais simples escrever num blog do que enviar a mesma carta a muitas pessoas... e também continua a ser um prazer escrever longas cartas que depois podem ser enviadas rapidamente num mail.
A escrita é cada vez mais importante no dia-a-dia. E o dia-a-dia cada vez pede mais e melhor escrita. Textos mais cativantes, textos que comunicam melhor, textos mais bem estruturados, textos que fazem com que sejamos lidos, compreendidos, apreciados. Textos que fazem que outras pessoas se sintam inspiradas por nós.

No Porto, no dia 22 de Fevereiro, vamos filosofar sobre a escrita e também aprender técnicas que nos ajudam a ser melhores escritores quotidianos. E, muito em breve, haverá uma data para o workshop de Lisboa. Estão abertas inscrições para o Porto e pré-inscrições para Lisboa, com pouca burocracia - é só mandar um mail com nome e contactos para locaishabituais@gmail.com.

E vamos escrever por aí.

Sem comentários:

Enviar um comentário